Estrutura de Concreto

Cimbramento: materiais

O cimbramento é uma estrutura de suporte provisória, composta por um conjunto de elementos que apoiam as fôrmas horizontais (vigas e lajes), suportando as cargas atuantes (peso próprio do concreto, movimentação de operários e equipamentos etc.) e transmitindo-as ao piso ou ao pavimento inferior. Para tanto, deve ser dimensionado, entre outras coisas, em função da magnitude de carga a ser transferida, do pé-direito e da resistência do material utilizado.

Estes elementos normalmente divididem-se em:
• Suporte: escoras, torres etc.
• Trama: vigotas principais (conhecidas também como longarinas) e vigotas secundárias (conhecidas também como barrotes)
• Acessórios: peças que unem, posicionam e ajustam as anteriores

Reescoramento

Após a concretagem, inicia-se o processo de endurecimento do concreto, quando as peças atingem a condição de serem autoportantes, até atingirem a resistência para a qual foram projetadas (aos 28 dias). A fim de liberar a maioria das peças de cimbramento para o próximo uso, posicionamos novas escoras (ou, nos sistemas que permitem a desmontagem das outras peças sem movimentarmos as escoras, deixamos parte delas) e depois desmontamos as demais peças para uso na próxima laje.

Dica

Posicionamos novas escoras e DEPOIS desmontamos o cimbramento. Em NENHUM momento as peças recém-concretadas devem ficar sem apoio, mesmo que seja por alguns minutos.

Materiais utilizados

Madeira bruta
Normalmente, na forma de troncos de eucalipto utilizados como escoras. É um sistema bastante rudimentar, com material bastante heterogêneo (necessidade de dimensionar pelo pior caso), nivelamento impreciso através de cunhas de madeira, custo baixo de material e facilmente encontrado.

 

Madeira serrada
Criado em conjunto com o sistema “forma pronta”, apresenta peças de madeira aparelhadas, peças padronizadas e com encaixes previstos. Tem a vantagem do baixo custo (em obras lentas são imbatíveis quando comparamos o seu valor de aquisição com o valor de locação dos sistemas industrializados) e da disponibilidade. Suas desvantagens são o nivelamento por meio de cunhas e seu uso normalmente restrito a uma única obra (principalmente devido à dificuldade em ser reformado e adequado a outras dimensões).

Normalmente, esse sistema é composto de:
• Escoras simples de pontaletes 3”x3” para as lajes
• Escoras duplas (conhecidas como “garfos”) de pontaletes 3”x3” para as viga
• Longarinas de sarrafos 1”x6” duplos
• Barrotes de sarrafos 1”x4”?duplos ou pontaletes 3”x3”

 

Metal
Atualmente, existem várias empresas especializadas no fornecimento, através da venda ou locação, de sistemas de cimbramento e reescoramento. São peças, em sua maioria, de aço ou alumínio, que têm como características principais: flexibilidade, ajustes precisos, resistência, uniões e encaixes simples. Estas empresas geralmente dispõem de equipes técnicas que, em conjunto com a obra, estudam e escolhem a solução mais adequada.